Resultados 3Q - DEER


Tal como esperava a DEER apresentou resultados fantásticos batendo em mais de 30% as previsões. Além dos resultados, todos os outros dados são fantásticos. Tanto a guidance, como margens e balanço são óptimos. Espero hoje uma reacção enérgica por parte da acção. 


Deixo aqui os principais highlines, que estão de acordo com a análise inicial.


3rd Quarter Financial Highlights:


Revenues of $55.26 million, an increase of 108% from Q3/09
Net income of $9.27 million, an increase of 125% from Q3/09, fully diluted EPS (Earnings per Share) of $0.28, an increase of 56% from EPS of $0.18 in Q3/09
Strong balance sheet: $54.4 million in cash without any long term debts
Record China domestic sales – high margin China domestic sales increased 708% to 42% of revenues compared to Q3/09
Expanded gross profit margin to 28.7%, compared to 22.1% in Q3/09
Expanded operating margin to 21.0%, compared to 16.9% in Q3/09
Expanded net income margin to 16.8%, compared to 15.5% in Q3/09
Initiated planning for Deer's 2nd production facility, which is located in China's eastern AnHui Province – positioned for significant China domestic customer demand in 2011
Sees positive impact to earnings from China's currency appreciation and positive growth momentum from the current global economic environment


3rd Quarter Revenues and Net Income:

Q3/2010 revenues were $55.26 million, an increase of approximately 108% from $26.54 million in Q3/2009. Deer attributes the significant increase in organic revenues to 708% year over year quarterly growth in the high margin China domestic markets. In addition, Deer continues to experience strong organic growth from its global markets. Net income for Q3/2010 was approximately $9.27 million, an increase of approximately 125% from Q3/09. Fully diluted EPS was $0.28, compared to $0.18 in Q3/2009.


Management Comments on 3rd Quarter 2010 Financial Results:

Bill He, Deer's Chairman and CEO, commented: "Deer is pleased to report the best 3rd quarter financial results in our corporate history. During this quarter, we executed our China domestic market expansion strategies successfully, which resulted in higher revenue growth as well as higher profit margins. Deer believes that our integrated 'production to market' model and our in-depth local cultural and market knowledge have made Deer one of the most profitable and efficiently operated companies in the small household appliance industry in the world. We capture both manufacturing margins and end user distribution margins. We see positive earnings growth trend to continue well into 2011."


Raises 2010 Earnings Guidance to $29 Million in Net Income, EPS of $0.87:

Based on the current order fulfillment and product shipments to China domestic and global customers, Deer raises its 2010 earnings guidance to approximately $172 million in revenues, approximately $29 million in net income and Earnings per Share (EPS) of $0.87-$0.88. Deer's previous 2010 guidance was $160 million in revenues, $26 million in net income and EPS of $0.76.
Business Outlook for 2011: Targets Minimum 30% Revenues and Earnings Growth in 2011 from the Raised 2010 levels:
Deer anticipates no less than 30% growth in both revenues and net income in 2011 from the raised 2010 levels, mainly due to anticipated continued revenue growth in China's domestic markets. In 2010, Deer significantly expanded its China domestic market distribution footprints, which positions the Company for further market expansion in 2011. In addition, Deer sees better global market conditions in 2011 as the global economy continues to improve, which would benefit Deer's global market sales.
"Deer's strong financial performance in 2010 has set a positive tone for Deer's continued expansion in 2011. Chinese consumer wealth expansion in a favorable environment of high GDP growth and low inflation has created healthy market demand for Deer's small household appliances products, which directly enhance the lifestyles of China's rising middle class. Deer's strong balance sheet and significant cash position also provide ample strategic M&A opportunities in 2011. In addition, Deer plans to significantly increase our production capacity in 2011 through the opening of our second production facility, in order to stay closer to our China domestic customers as well as expanding distribution outlets. Our second factory should be completed in 2011 and it is strategically located in a region that can service more than 300 million people in one of China's most economically developed areas. Deer looks forward to continuing delivering high earnings growth for our shareholders for years to come," commented Mr. He.

0 comentários


Análise Fundamental by Champignon - Apple Inc
Acabei de preparar uma Análise Fundamental a uma empresa bem conhecida de todos, a Apple Inc. Aguardo então o vosso feedback..

0 comentários
O Regresso


Após algum período de ausência por motivos profissionais como também por umas merecidas férias, espero voltar a actualizar este espaço com mais alguma frequência. 

O desempenho da carteira não está famoso. Os shorts estão a correr como previsto, mas do lado longo, a coisa não corre de feição. Mesmo assim a desvalorização é apenas de 3% face ao capital investido. Nada de grave por agora. 

Esta má prestação da carteira do lado longo advêm, em minha opinião, de uma certa desconfiança por parte do mercado em relação a acções chinesas. A contabilidade das mesmas ainda é um pouco duvidosa. 

No caso da FUQI, a empresa está, inclusive, sob investigação da SEC. Isso é péssimo para a acção. Quando comprei a acção foi no preciso momento em que se detectou o problema contabilístico. Por acreditar ser um problema sem grande importância, e que não teria uma relevância muito grande, resolvi arriscar por acreditar que acção estava barata mesmo descontando as falhas contabilísticas anunciadas. Agora vejo que foi um erro. Seria talvez um erro importante a incluir no tópico que por aqui circulou, faz pouco tempo, sobre os erros mais cometidos em bolsa. Nova regra: Não comprar acções com problemas contabilísticos. Ás vezes o que parece demasiado barato...pode sair caro. 

No entanto, penso que a situação esteja perto do fim, e vou pagar para ver o final. Pode iniciar uma grande recuperação como a acção pode tender para zero. Veremos! 

No caso da DEER continuo a manter a análise inicial. 

Penso igualmente nos próximos tempos adicionar mais algumas acções ao Portfolio. Estou a pensar incluir tanto shorts como longos. Quero também adicionar algumas acções de capitalização bolsista maior para diversificar o risco. 

Estou igualmente disponível para analisar mais algumas acções do ponto de vista fundamental tal como fiz com a JMT, SONI, FUQI e DEER. Fico então a aguardar sugestões.


Fica em anexo a actualização da carteira.





0 comentários
Actualização da Carteira de Investimentos by Champignon


Em virtude de a Brisa ter pago dividendos esse valor foi descontado ao valor inicial do trade por ser uma posição curta. Foram descontados os 31 cêntimos, passando o preço de entrada para 5,79 Euros.


0 comentários
Actualização Fuqi

A Fuqi teve ontem uma boa subida de mais de 7% para cima dos 12 Usd. 

O Chairman da empresa veio passar uma mensagem de confiança ao assumir que não vendeu nenhuma das suas acções quando se deu o escândalo contabilístico. Isso é uma mensagem de confiança na própria empresa que ele passa para o mercado! Anunciou também que vai pedir a auditores internacionais para rectificar as contas da empresa.
Isto leva-me a querer que o buraco pode não ser significativo.

Com um Short interest to float de 37% e com uma boa abertura hoje, pode levar a um short squeeze. Espero bem que sim.

Se assim for, está aberto o caminho para um grande rebound...

0 comentários
Actualização da Carteira de Investimento by Champignon

A Carteira está toda no vermelho. Nada de preocupante, pois são variações pequenas.

 Mesmo com o mercado a subir, as posições longas não estão a acompanhar essa mesma valorização.
É normal? É. tendo em conta que estamos a falar de small caps. Elas andam geralmente a marinar até que por alguma notícia explodem (para cima ou para baixo).
 Relembro que as posições longas são investimentos de longo prazo, salvo alteração a nível fundamental.

Tenho tido menos tempo ultimamente, mas já tenho acções escolhidas para entrar na carteira. No entanto, queria publicar aqui as respectivas análises antes de as juntar ao portfolio. Novidades surgirão em breve.


0 comentários
 Análise Fundamental - DEER 



A próxima aposta da Carteira de Investimentos by Champignon vai passar, como já tinha dado pistas anteriormente, por uma empresa dirigida ao consumidor chinês.

Esta empresa é a DEER, Deer Consumer Products, Inc. (NASDAQ Global Market: DEER).

Estava a fazer uma procura com as características que apresento em seguida,,,quando encontrei a DEER.
  • PER < 40 
  • PER provisonal <25 
  • Insider Ownership > 30% 
  • Sem dívidas 
  • Current Ratio >3 
  • Margens Liquidas positivas 
  • EPS crescente 
  • Presença institucional < 50% 
Foi então que me deparei com a DEER. Actuava exactamente no sector que procurava…Fantástico!
Passemos então á descrição da empresa:



Descrição

A DEER é uma empresa chinesa que é designer, fabricante e vendedor de pequenos electrodomésticos para casa e cozinha. Produtos como liquidificadores, espremedores , picadores de gelo etc. Podem ver aqui os seus produtos:

http://www.deerinc.com/web/product.asp

Os produtos são vendidos tanto no mercado Chinês como para mercados de exportação. No mercado interno, os produtos são vendidos principalmente sob a marca Deer (德尔), 

No mercado externo, os produtos são vendidos a empresas que depois os comercializam sob marcas próprias. Como exemplo temos marcas como a Black & Decker, Betty Crocker Cozinhas, Ariete etc.

A empresa tem 200 empregados e uma capitalização bolsista de 387M. Ainda é uma empresa relativamente pequena e com margem para valorização.

Tem capacidade de produção anual estimada de 14 milhões de unidades. Apenas está a utilizar 50% da sua capacidade.

A produção é totalmente integrada, automatizada e com capacidade interna de produzir tudo, desde os componentes internos, incluindo motores eléctricos, tal como, componentes exteriores e montagem final.

Mais de 95% das vendas foram feitas apenas com a sua produção interna.

A DEER vende a nível externo directamente ás marcas que vão efectuar a venda final. No caso do mercado interno a venda é feita a lojas de retalho.

A empresa está neste momento focalizada em concentrar os seus esforços no mercado interno. Veremos esses dados durante o capitulo da Análise Fundamental.


Comentários ao modelo de negócio

É, em minha opinião, um sector interessantíssimo.


  1. É um negócio fácil de entender. Vende mini electrodomésticos. Mais simples é impossível 
  2. Está a apostar no mercado interno. Já percebeu, e bem na minha opinião, que o mercado externo pode estar perto da saturação, embora grande parte da produção tenha sido descentralizada para a China. A empresa está a apostar no mercado interno onde ,em 2008, conseguiu um aumento de 600%. Esse projecto começou em Abril de 2008. 
  3. Além do preço, a empresa parece ter também alguma preocupação com a qualidade. O seu Know How ,por fabricar produtos para empresas de renome, a isso obriga. Isso é uma vantagem para a DEER. 
  4. O tipo de produtos que a DEER vende são exactamente aqueles que mais aumento de procura têm quando há aumento de poder de compra da classe média. As razões são as seguintes:
               -São produtos com valor unitário relativamente baixo. São os primeiros a comprar quando há aumento de rendimento.
               -São as mulheres que mais compram este tipo de produtos. Está provado que são elas que mais gastam quando há mais poder de compra

Podem ver o crescimento de equipamentos deste género na China, nesta tabela:


$ in billions)

Kitchen


Living


Personal Care


Total

Year

Sales


Growth(%)


Sales


Growth(%)


Sales


Growth(%)


Sales


Growth(%)

2006

$
9.14





$
1.50





$
1.05





$
11.69




2007


10.46



14.4
%


1.69



13.0
%


1.16



10.8
%


13.31



13.9
%
2008


12.40



18.5
%


1.99



17.7
%


1.34



15.5
%


15.74



18.4
%

Para se ter noção, um Chinês de classe média, tem em média 5 pequenos electrodomésticos. Um Americano tem 30…



Análise Fundamental


VALUATION MEASURES



Market Cap (intraday)5:
398.42M
Enterprise Value (29-Mar-10)3:
314.22M
Trailing P/E (ttm, intraday):
22.91
Forward P/E (fye 31-Dec-11) 1:
13.57
PEG Ratio (5 yr expected):
0.54
Price/Sales (ttm):
4.76
Price/Book (mrq):
3.54
Enterprise Value/Revenue (ttm)3:
3.86
Enterprise Value/EBITDA (ttm)3:
20.041


FINANCIAL HIGHLIGHTS





Profitability
Profit Margin (ttm):
15.21%
Operating Margin (ttm):
17.49%




Income Statement
Revenue (ttm):
81.34M
Revenue Per Share (ttm):
3.57
Qtrly Revenue Growth (yoy):
177.80%
Gross Profit (ttm):
20.17M
EBITDA (ttm):
15.68M
Net Income Avl to Common (ttm):
12.37M
Diluted EPS (ttm):
0.53
Qtrly Earnings Growth (yoy):
1292.00%


Balance Sheet
Total Cash (mrq):
79.33M
Total Cash Per Share (mrq):
2.431
Total Debt (mrq):
6.21M
Total Debt/Equity (mrq):
N/A
Current Ratio (mrq):
4.905
Book Value Per Share (mrq):
3.354


Cash Flow Statement
Operating Cash Flow (ttm):
384.22K
Levered Free Cash Flow (ttm):
-7.60M





Enquanto o Nº de Acções cresceu 207% o resultado líquido cresceu 365%. Isto confere valor para o accionista em 76%. É isto que interessa.

Isso vai ver-se, por consequência, no EPS
EPS 2008- 0,2 Usd
EPS 2009 – 0,53 Usd

As contas do EPS foram feitas com base, não através do número total de acções, mas sim na média de acções ao longo do ano. Isto é o valor que se encontra no relatório oficial. Ou seja como o aumento de capital só foi feito em Dezembro, as contas foram feitas apenas com 23M de acções. Só reparei nisto agora. Que pena! Perdi um pouco do entusiamo. Isto porque as próximas contas a fazer vão ter que ser com as acções totais, ou seja, 32M. Isto vai levar a diluição do EPS. O EPS para 2009 seria então de 0.38 Usd.

Neste momento o mercado interno ainda representa apenas 20% para a DEER. O resto provém do exterior.

A estratégia da empresa passa, como disse anteriormente, por uma expansão interna. Esta estratégia de expansão começou apenas em Abril de 2008.
Saliente-se, no entanto, que a empresa continua a aumentar a sua cota de mercado exterior.

Vemos que as margens sempre na casa das dezenas, portanto gordas. Segundo a empresa, o mercado interno confere ainda maiores margens ao seu negócio. Fantástico.
A empresa não apresenta dívidas de longo prazo e tem algum Cash no balanço. Que diferença para as empresas da Tugolândia.

Apenas 3 analistas seguem esta empresa e esperam um EPS entre 0.70 e 0.75. Isto dá um aumento de +- 40% face a 2009. As expectativas estão talvez demasiado elevadas.

Outro factor positivo é o facto de ter mais de metade da empresa na posse dos seus fundadores e administrativos. Ninguém, mais do que eles, quer que a sua posição se valorize.
Os investidores institucionais vulgo “tubarões”, como muitos lhe chamam, ainda só “têm” 17% das acções. Quando eles perceberem que se trata de uma boa empresa (como espero que venha a acontecer), vão atacar a acção e a cotação irá subir.


Perspectivas para o futuro

A empresa espera quem em 2011 as suas vendas já sejam feitas 52% no mercado interno, querendo ao mesmo tempo aumentar as suas cotas de mercado na exportação. São esperados para 2011 vendas de 197 Milhões. Mais do dobro do actual é sem dúvida, aliciante.
Lembro que, segundo a empresa, ela só está a trabalhar a 50% da sua capacidade produtiva. Logo não deverá necessitar de capital extra para aumentar a sua capacidade.
A empresa está a promover, a nível interno, a expansão da marca DEER. Isto vai promover um maior conhecimento da marca e abrir caminho para uma futura investida da própria empresa no retalho. Segundo parece é um conceito que querem explorar e que eles chamam “One Stop Shop”.

A DEER está em 900 lojas no momento, esperando 1500 para 2010 e 20 000 a longo prazo.

São projectos sem dúvida ambiciosos.

Outro factor que eles realçam é que conseguem produzir 40 a 50% mais barato que os produtores estrangeiros, e que a maior parte dos concorrentes chineses pelo menos preço tem menos qualidade. Acredito que seja verdade, embora não o possa confirmar.


Conclusões Finais

A empresa não se encontra neste momento barata. Isto por um lado dá alguma confiança, por estranho que possa parecer. No caso da FUQI a empresa parece “barata demais”. Neste caso parece-me que o mercado está a avaliar melhor a empresa.

Ela apresenta um PER, calculado com o número de acções totais de 31.5.

Elevado, é certo. Mas se as vendas em 2 anos subirem 100% como a empresa (e eu próprio) esperamos, o resultado irá também dobrar. Se a empresa apresentar resultados dentro de 2 anos de 25M, e mantendo estável o número de acções ficaríamos com um PER de 15.

No entanto, a crescer a este nível, a empresa pode perfeitamente apresentar um PER de 30. Assim dentro de 2 anos a cotação estaria em 24 Usd.


Estaria mais confiante no valor futuro desta acção se:



  1. A conta do EPS do relatório ter sido feita com um número médio de acções. 
  2. Os analistas esperarem resultados de 0.75 de EPS em 2010, e valores esses, que eu apenas antecipo para 2011 
Isto pode levar a enormes Gapdowns caso a acção não atinja os valores desses tais analistas, coisa que eu admito perfeitamente. Acho que eles estão demasiado optimistas.

De outra forma estaria quase 100% seguro nesta acção.

Mas vou arriscar, porque gosto demais do modelo de negócio e do caminho que a administração da mesma está a seguir. Vai exactamente de acordo com o meu pensamento macro-económico.

Custa entrar numa empresa com um PER de 30. Mas quantas vezes não tiverem as grandes empresas como a Google etc, outrora pequenas, com PER´s destes e maiores, e continuaram a crescer a números superiores ano após ano?

Vou então acreditar no crescimento desta, ainda pequena, empresa chinesa...

Resultado: Comprar 10% em acções da DEER ao preço de abertura de amanhã.


Relembro também que isto é apenas a opinião do autor, não podendo ser confundido como uma recomendação de investimento




0 comentários